Relegada

EM Poética · 15 jun 2016 · Permalink

Emi

Segunda, terceira, quarta opção… sempre. Acostumou-se, ainda que não deixasse de lhe doer. Era comum que fosse lembrada, mas nunca a queriam tão bem. Podiam enxergá-la, mas só se aprendia a gostar dela – e aprender lhe demorava, até machucava.

Não era do tipo a ser convidada, nem do tipo a ser notada, nem do tipo a ser escolhida, nem do tipo a ser preferida. Não se esforçava mais, esperava o dia em que alguém a escolhesse, simplesmente. Súbito; primeiro; lugar.


Sete anos depois de escrever o texto, ainda esperando…

Qual o seu melhor eu?

EM Poética · 24 fev 2016 · Permalink

Mureta da Urca, Rio de Janeiro

Assim como todo mundo, eu sou muitíssimas pessoas, mas tenho uma preferida entre elas. Gosto especialmente de quem eu sou em um fim de tarde depois de uns copos de bebida dançando ao som de alguma música da moda.

Eu também gosto muito de quem eu sou rindo sozinha no banheiro ou pensando que tenho que me controlar porque estou ficando bêbada. É a minha prova de que parece certo levar a vida mais a sério, mas é muito mais divertido fazer o que te deixa bem à vontade – exceto tirar os malditos saltos que estão te matando, porque cacos de vidro nas solas dos pés não fazem cócegas em ninguém.

O conhecimento desta personalidade é reservada a poucos, o que me faz pensar que talvez o meu eu preferido não seja aquele de um fim de tarde depois de uns copos de bebida dançando ao som de alguma música da moda. Talvez seja quem eu sou com vocês.

Mureta da Urca, Rio de Janeiro

Acho que não sou blogueira

EM Poética · 16 fev 2016 · Permalink

Emi no Beco do Batman

Todos os meus posts morrem de tentativa de sistematização. O blog vai bem, obrigada – pelo menos até eu tentar colocar as coisas no lugar. Organizá-lo, seguir um padrão, destacar um nicho e os conteúdos que considero de fato publicáveis. Se você faz parte da vasta porcentagem de blogueiros e ex-blogueiros provavelmente sabe que está aí um problemão. Tentar limitar as publicações ao que você realmente considera útil pode fazer com que a frequência de postagens diminua a ponto de um dia você se deparar com um hiatus perturbador, e totalmente acidental. Admiro todo mundo que sabe ser coerente e constante. É para poucos, e é por isso que tão pouca gente dá certo.

Mainha encontrou o meu registro de nascimento e veio me mostrar. O papelzinho com informações médicas informava o horário em que vim ao mundo. 20h20. Em todos os outros sempre esteve 20h. Arrepiada de tensão, fui parar rapidamente em um desses sites de mapa astral. Respirei aliviada ao saber que, sim, continuo sendo libriana com ascendente em touro. E lá constava mais uma vez o que eu soube desde que escrevi meus primeiros poeminhas tontos enfeitados com desenhos tortos. “Você deveria se orientar para atividades artísticas, nem que seja como hobby.”

Não sei ser constante de forma alguma, mas produzir aleatoriedades é a essência da minha natureza.
Gosto mesmo de despejar esses negócios aqui.