Relegada

EM Poética · 15 jun 2016 · Permalink

Emi

Segunda, terceira, quarta opção… sempre. Acostumou-se, ainda que não deixasse de lhe doer. Era comum que fosse lembrada, mas nunca a queriam tão bem. Podiam enxergá-la, mas só se aprendia a gostar dela – e aprender lhe demorava, até machucava.

Não era do tipo a ser convidada, nem do tipo a ser notada, nem do tipo a ser escolhida, nem do tipo a ser preferida. Não se esforçava mais, esperava o dia em que alguém a escolhesse, simplesmente. Súbito; primeiro; lugar.


Sete anos depois de escrever o texto, ainda esperando…

1 Comentário

  1. Uauu!! adorei. Parabéns.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *